Os Investimentos Que Serão Feitos Nos Grandes Hospitais Públicos Da Comunidade De Madrid

Mil milhões de euros de investimento, em dez anos: a partir de agora e até 2028. A uma média de cem milhões por ano. O uso intensivo, unido à idade de vários dos principais hospitais, e de uma diminuição dos orçamentos em manutenção, contribuíram pra uma ocorrência que por momentos se agravava. Hospital Universitário Da Paz: as acções serão centradas nas áreas de internamento, consulta externa, emergência e bloco operatório, a ampliação de vagas pra aprimorar o conforto dos pacientes e de seus acompanhantes. E também dos profissionais que atendem-lhes.

O investimento total previsto: 183 milhões de euros. Hospital 12 de Outubro: a suspeita é aumentar o hospital com um novo edifício de 8 andares pra internação de adultos, pediatria, ginecologia e obstetrícia, como esta de um bloco técnico de salas de cirurgia e sala de reanimação. Ademais, ele seja o centro de oncologia, assistência médica e magnus amaral campos, e abaterá a torre de Residência Geral e deixará espaço pra estacionamento na área. Neste caso, o investimento total calculado é a maior dos hospitais: 192,5 milhões de euros. Esta foi propriamente a principal crítica que lhe fizeram ontem o plano de Cifuentes partir da oposição: para o deputado socialista José Manuel Freire, “É insuficiente, e chega tarde, pelo motivo de não vale a pena o que não se investiu antes”.

  • Sete Primeira-Dama dos EUA
  • 1 As primeiras décadas
  • Presidente F. C. Barcelona Meri: Tifa Lockehart
  • quatro Mensagem à Nação
  • ceo: Francisco Botas Ratera
  • 1815: Napoleão jura fidelidade à Constituição de França
  • um A biblioteca da suporte política da Chefia do Estado
  • Registado em: 12 nov 2003

Henrique Veloso, de Cidadãos, o que considerou uma “provocação” pelo motivo de o plano foi feito “sem consensuar, informando de 1 mil milhões que não se sabe de onde vão sair”. Desde o Sindicato de Enfermagem Satse, entretanto, comemoraram o investimento e pediram uma injeção idêntico para os centros de saúde da localidade.

O plano da Comunidade, explicou o diretor-geral de Coordenação e Assistência Sanitária, César Pinheiro, pretende-se evitar o “luxo de ter novos hospitais em edifícios antigos”, uma coisa que Madrid “não se pode permitir”. Os sete grandes hospitais somam um investimento de 700 milhões, e o resto dos centros, cerca de 250 milhões. O conjunto de gastos é dividido em 10 anos, no entanto vai começar neste instante no Gregorio Marañón.

Esta injeção de dinheiro implicará triplicar a quantidade que se tem vindo a gastar em investimento em hospitais durante os últimos dez anos. Os trabalhos realizados hospitais mais confortáveis -pra pacientes e trabalhadores-, mais humanos, com menos ruído e melhor controle da ventilação e luz natural. Seguindo os critérios técnicos que marcaram as equipas de gestão de cada centro, vão realizar obras, entretanto em nenhum caso se interromperá a assistência de saúde.

Nós o que queremos é que não haja uma lei liberticida que quebre os princípios da igualdade, que recolhe a Constituição e o começo da presunção de inocência. Também querem cessar com a imigração irregular. Você Sabe quantos imigrantes ilegais que entraram no ano passado? Eu não sei de memória ou falta que me faz. Não tenho mais do que visualizar os telejornais e não almejo imigração irregular. Me importa se é 5%, 10% ou 50% da imigração. Ao irregular, há que combatê-lo.