Nessa Edição

O feito tem estado presidido pelo reitor da Universitat de les Illes Balears, Llorenç Huguet, o presidente da Associação Argentina de la Empresa Familiar (Abef), Rafael Salas, e José Luis Acea, ceo da Banca March. Nessa edição, a organização familiar convidada foi o laboratório farmacêutico Reig Jofre. 2001 a 2015, de diferenciação entre corporações familiares e organizações não familiares. O estudo centra-se no modo experimentado por 2 tipos de organizações, durante e após a decadência econômica da primeira década do século XXI. As variáveis que foram tidos em conta são a rentabilidade, o traço assumido pela corporação e o acesso ao financiamento a começar por dívida.

de Acordo com ele, a recessão não foi afetado com a mesma intensidade, ou no mesmo período em qualquer um dos países europeus analisados. Também, a lucratividade das empresas está correlacionada com os ciclos económicos próprios de cada estado e os níveis de endividamento da organização familiar europeia cotada são “ligeiramente inferiores aos da organização não-familiar. Em média, as empresas familiares aturam um baixo custo financeiro da dívida que as não familiares e apresentam melhores índices de cobertura.

Não tem horror de inovar, reconhece o gerente, ainda que a tua cozinha seja 100% convencional. Há outras pinceladas, especialmente na exibição. Insiste que não quer “uma cozinha afastada de nossas raízes. O tempo me dará justificativa, que o que está voltando é uma cozinha tradicional”, explica.

Como evolui uma carta com mais de 130 referências? Se alguma coisa tem a carta de Salvi é que “pesa”, literal. Uma carta que conta com mais de uma centena de referências e até já com mais de trinta sobremesas diferentes. Para ele, a abundância é sério, pois “é complicado entrar até nesse lugar e não querer de nenhum prato”, afirma.

  • Quatro Aplicativos pra smartphones
  • Mykonos Fitness Center
  • 2 Equação diferencial e equação de ondas 2.2.1 Mola com uma massa suspensa
  • James M. Roche June 1, 1965 – Out. 31, 1967

Mesmo deste jeito, a carta não é estática, e irão se modificando. Exercem-no segundo a busca do comprador: “Todas as semanas temos, além da centena de referências que há pela carta, com uma série de informações. Não mais do que 2 ou três por semana”, reconhece Salvi.

Do mesmo jeito, bem como se enriquecem com as propostas de outros lugares, “para os que lhes damos um toque muito pessoal”, garante. De qualquer maneira, “Residência Salvi” continua a evoluir e para o gerente da geração é fundamental: “Pra montar um serviço tal como necessita estar se formando continuamente.

Isso sim, com ilusão e desejo, que ainda se mantêm, apesar da passagem dos anos”. Na carta contam com pouco peixe, garante o proprietário, visto que pra levá-lo a um restaurante “há que saber comprar, há que saber trabalhar e, acima de tudo, há que saber vender”.

No câmbio são especialistas em carnes, com um vasto leque de carnes ibéricas. E, como não, por tuas sobremesas, cujas propostas estão levando-o pro mais grande do universo da pastelaria. Os define como “aqueles sobremesas que temos pela lembrança desde que somos pequenos. Esses sobremesas que nos faziam nossas mães, nossas avós, que se produziam com a dedicação e com muito adoro”, garante Salvi.

Em suma, a tendência de gastronomia tradicional, saboreia-se, do primeiro ao último prato desta residência. Qual será o próximo? Salvi conta, bem como, com algumas linhas de negócio que se adicionam com o restaurante. De um lado, em 2002, ampliaram o negócio com o “Salvador Arias Catering”. Segundo comenta Salvi “foram meus compradores que me propõem que tire meus utensílios de cozinha e minhas elaborações do estabelecimento, e nasce desta maneira a nossa linha de catering pra eventos. A última linha de negócio, e não menos interessante, vem com “despensa”, um estabelecimento anexo a “Residência Salvi”, que nasce com a vocação de um boteco de vinhos, com 250 fontes de vinhos nacionais e internacionais.